CARACTERIZAÇÃO da Deposição de Pó Cerâmico Supercondutor de Smba2cu3o7-δ em Aço Inoxidável Lean Duplex

Nome: Rodolpho Santos Lepich
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Carlos Augusto Cardoso Passos Orientador
Cherlio Scandian Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Carlos Augusto Cardoso Passos Orientador
Cherlio Scandian Coorientador
José Luis Passamai Junior Examinador Externo
Marcos Tadeu DAzeredo Orlando Examinador Interno

Resumo: Amostras supercondutoras policristalinas de SmBa2Cu3O7−δ (Sm-123) previamente preparadas foram depositadas em aço inoxidável lean duplex e tratadas termicamente com diferentes fluxos de gás oxigênio: 0,2cm³/s, 0,5cm³/s e 0,7cm³/s. Além disso, uma tentativa de tratamento térmico sob atmosfera do gás inerte argônio foi realizada. As amostras foram denominadas de Amostra A e B devido aos diferentes processos de Síntese aos quais foram submetidas. Para serem depositadas no aço foi necessária a criação de uma cava de aproximadamente 5cm de comprimento por 2mm de largura. Através de dois processos distintos, corrosão e fresagem, deu-se origem ao canal central. Após análise visual, percebeu-se que pelo processo de fresa obtinha-se maior qualidade e produtividade. O pó cerâmico supercondutor foi depositado no aço e então o material foi levado ao forno para ser tratado termicamente. Posteriormente, as amostras foram caracterizadas por Difração de Raios X (DRX) e por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), bem como foi realizado o cálculo do tamanho médio de junções. A partir dos resultados de DRX verificou-se que as Amostras A não formaram a estequiometria desejada, enquanto que as Amostras B conseguiram. Foi observado que quanto menor o fluxo de oxigênio, maior o tamanho médio de junções. Consequentemente, maior a blindagem magnética. Todavia, os menores tamanhos oferecem menor resistência à passagem da corrente elétrica e, portanto, menor a probabilidade de formar hot spots e degradar o contorno do grão. Por fim, encontrouse uma rota ideal para a criação deste compósito: processo de Síntese B e tratamento térmico sob fluxo de oxigenação de 0,5cm³/s. Neste caso, foi formada a estequiometria desejada em porcentagem relevante na amostra, porém nenhum dos materiais testados apresentaram transição supercondutora acima de 77K.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910